Conheça nosso curso de

Engenharia Mecânica

O Curso

O curso de Engenharia Mecânica da FIMI alinha-se com as necessidades do segmento industrial, formando competências inovadoras na solução de problemas que exigem tecnologia mecânica aplicada à construção de máquinas e processos, desde a etapa de projeto até a gestão de recursos atendendo aos pré-requisitos estabelecidos pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia e as definições previstas pelo Conselho Federal de Engenharia – CONFEA, proporcionando formação alinhada com as responsabilidades e atribuições profissionais previstas para o profissional Engenheiro Mecânico.

Modalidade: Bacharelado
Período: Noturno
Duração: 10 semestres

Área de atuação

A atuação do Engenheiro Mecânico  é desenvolver, projetar e supervisionar a produção de máquinas, equipamentos, veículos, sistemas de aquecimento e de refrigeração e ferramentas específicas da indústria mecânica. Seleciona e dimensiona a matéria-prima, providencia moldes das peças que serão fabricadas, cria protótipos e testa os produtos obtidos.

Organiza sistemas de armazenagem, supervisiona processos e define normas e procedimentos de segurança na linha de produção. Controla a qualidade, acompanhando e analisando testes de resistência, calibrando e conferindo medidas e principalmente na solução de problemas nos segmentos de projeto, execução e análise de elementos de máquinas e seus sistemas estruturais. Desde as fases de projeto assistido por computador e simulação de sistemas até a etapa de fabricação de elementos presente na indústria metalúrgicas, alimentos, química, naval, aeronáutica etc.

Coordenação

Prof. Mestre Jose Donizeti Tagliaferro

Engenheiro Mecânico/Automação graduado pela USF (2008), Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida pela UNIFAE (2015), Pós Graduado em Gestão da Manutenção e Produção FATEP (2012), Licenciatura Plena em Matemática pela FPSJ (2016), Licenciatura Plena em Física pela FPSJ (2017). Experiência como professor de Física I II III IV, Mecânica Geral, Automação Industrial, Cálculo Diferencial e Integral, Controle e Servo Mecanismo, Desenho Mecânico com SolidWorks, Elementos de Máquinas, Fluidos Mecânicos, Hidráulica e Pneumática, Mecânica Aplicada, Metrologia, Operações Unitárias, Instrumentação, Projetos de Máquinas, Resistencia dos Materiais, Micro Controladores, Utilidades para processos Industriais, Programação e Controle de Produção, Gestão da Qualidade, Administração Estratégica nas engenharias Mecânica, Computação, Química, Civil, Ambiental, Elétrica e Produção.

Experiência profissional atuando como Gestor de Produção, Manutenção, Projetos, Instalações, ISO 9000, 14000 e 22000 no período entre 1993 à 2013 na Ingredion (antiga maisena), também atuo como consultor técnico para elaborações de pericias e laudos das normas NR10, NR12,NR13,NR33. Também atuou como mecânico de manutenção industrial na Trop Suco no período de 1988 à 1992 e como mecânico de automóveis na Auto Mecânica Solevolks no período entre 1985 à 1988. Atualmente exerce a função de coordenador do curso de Engenharia Mecânica na FIMI e atua como professor de mecânica geral na engenharia civil e como examinador de transito pelo Detran-SP. 

Infraestrutura

  • Objetivos
  • Perfil do egresso
  • Sistema de avaliação

OBJETIVOS

Geral

De acordo com artigo 5° da Resolução CNE/CES 11 e das determinações do CREA (Lei 5194 e   Resolução 218), o curso tem como objetivo geral:

“Formar Engenheiros Mecânicos com um perfil generalista, humanista, crítico e reflexivo, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em consonância com as demandas da sociedade”.

Específicos

Na FIMI, o curso de Engenharia Mecânica prevê o ingresso dos alunos num currículo de formação em comum, permitindo aos discentes conhecerem, de forma conjunta, as possibilidades de atuação e também os fundamentos da profissionalização para as respectivas áreas.

Dentro deste preceito, definiu-se os objetivos específicos do curso de bacharelado em Engenharia Mecânica da FIMI no sentido de:

  • Formar profissionais que conheçam os princípios, as práticas e as técnicas voltadas para a Engenharia Mecânica, bem como as normas e leis nacionais e internacionais que regem a atividade;
  • Fazer uso da Matemática como ferramenta e linguagem, empregada na descrição de modelos, permitindo a previsão do comportamento de sistemas e seu projeto. O foco será concentrado na compreensão e aplicação dos conceitos aprendidos;
  • Contextualizar a teoria, mostrando algumas de suas aplicações práticas. Os projetos desenvolvidos em disciplinas e aulas de laboratório cumprirão este papel, muitas vezes antecipando temas a serem tratados em aulas de teoria;
  • Levar em conta aspectos de segurança trabalho, obedecendo às normas vigentes;
  • Incentivar o uso intensivo da leitura, compreensão e produção de textos na maioria das disciplinas.
  • Propiciar ao egresso uma formação mais abrangente dentro das diversas áreas da Engenharia Mecânica que levem a plena capacidade de desenvolver projetos de sistemas térmicos e mecânicos;
  • Formar profissionais com habilidades técnicas para acompanhar o acelerado desenvolvimento tecnológico da área, buscando o aprimoramento contínuo;
  • Empregar intensivamente a informática na solução numérica de problemas matemáticos complexos, associados ao modelamento de sistemas e processos, permitindo a avaliação do seu comportamento;
  • Oportunizar aos graduandos uma formação humanística, para que se tenha um profissional preocupado com questões sociais.
  • Desenvolver no discente a sensibilidade, para perceber a importância da interação interpessoal, possibilitando-o de se tornar um cidadão preparado para contribuir de forma significativa para a melhoria de vida da sociedade;
  • Desenvolver no aluno a capacidade de abstrair a realidade, utilizando-se de modelos físicos e matemáticos para descrevê-la e explicá-la;
  • Formar profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico da área;
  • Incentivar um perfil empreendedor em engenharia;
  • Desenvolver um aluno crítico, capaz de responder às novas exigências do campo da Engenharia Mecânica, a partir de uma base sólida de conhecimentos e saberes historicamente construído.

PERFIL DO EGRESSO

Sendo o engenheiro elemento ativo das transformações na era das mudanças tecnológicas rápidas, ele próprio vem sendo obrigado a promover profundas transformações em suas habilidades e em seu perfil profissional.

A sociedade do conhecimento exige engenheiros com competências novas, com flexibilidade e capacidade de aprender sozinho e permanentemente. Mais do que nunca, é necessário que o engenheiro tenha iniciativa, criatividade, espírito empreendedor e capacidade de atualização constante. Na era dos avanços tecnológicos rápidos, competitividade tornou-se sinônimo de capacidade de gerar e aplicar ciência e tecnologia na produção de bens e serviços.
Dentro deste contexto, considera-se que o perfil do Engenheiro Mecânico deva, inicialmente, atender ao proposto no Artigo 3º da Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002 e a Resolução 2/2007:

“O Curso de Graduação em Engenharia tem como perfil do formando egresso/profissional o engenheiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade”.

A concepção do curso também considerou a necessidade do profissional egresso de Engenharia Mecânica ter capacidade para executar as atividades previstas na resolução do CONFEA/CREA nº. 1.010/2005 de 22 de agosto de 2005, que trata das atribuições para o desempenho de atividades exigidas para o exercício profissional, que sejam:

Atividade 01 – Gestão, supervisão, coordenação, orientação técnica;
Atividade 02 – Coleta de dados, estudo, planejamento, projeto, especificação;
Atividade 03 – Estudo de viabilidade técnico-econômica e ambiental;
Atividade 04 – Assistência, assessoria, consultoria;
Atividade 05 – Direção de obra ou serviço técnico;
Atividade 06 – Vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria, arbitragem;
Atividade 07 – Desempenho de cargo ou função técnica;
Atividade 08 – Treinamento, ensino, pesquisa, desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, divulgação técnica, extensão;
Atividade 09 – Elaboração de orçamento;
Atividade 10 – Padronização, mensuração, controle de qualidade;
Atividade 11 – Execução de obra ou serviço técnico;
Atividade 12 – Fiscalização de obra ou serviço técnico;
Atividade 13 – Produção técnica e especializada;
Atividade 14 – Condução de serviço técnico;
Atividade 15 – Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
Atividade 16 – Execução de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
Atividade 17 – Operação, manutenção de equipamento ou instalação; e Atividade 18 – Execução de desenho técnico.

Outro aspecto relevante e vinculado ao perfil do egresso se refere ao delineamento das competências e habilidades a serem desenvolvidas no transcorrer do curso e previsto pelo Artigo 4 da Resolução CNE/CES n 11/2002:

“A formação do engenheiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades gerais:

I- aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia;
II- projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
III- conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
IV- planejar, supervisionar, elaborar, coordenar projetos e serviços em engenharia;
V- identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
VI- desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
VI- supervisionar a operação e manutenção de sistemas;
VII- avaliar criticamente a operação e manutenção de sistemas;
VIII- comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
IX- atuar em equipes multidisciplinares;

X- compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;
XI- avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e
ambiental;
XII- avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
XIII- assumir a postura permanente de atualização profissional.”

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

As FIMI projetam em todos os seus cursos, atividades em harmonia com as suas bases filosóficas e princípios metodológicos, garantindo, desta forma, uma coerência epistemológica com a Missão e os Objetivos Institucionais, assim como com as propostas pedagógicas dos seus cursos.

Avaliar não se resume à mecânica do conceito formal e estatístico; não é, simplesmente, atribuir notas, obrigatórias à decisão de avanço ou retenção em determinada disciplina. Os instrumentos de avaliação, imprescindíveis à verificação do aprendizado efetivamente realizado pelo aluno, devem fornecer subsídios ao trabalho docente, direcionando o esforço empreendido no processo de ensino e aprendizagem de forma a contemplar a melhor abordagem pedagógica e o mais pertinente método didático adequado à disciplina.

Neste contexto, a avaliação, sob o enfoque formativo, é de forma contínua, mais do que simples atribuição de um conceito formal (nota), serve à percepção, tanto do professor quanto do aluno, dos progressos e carências de seus respectivos trabalhos, permitindo a aplicação de estratégias de aperfeiçoamento ou de redirecionamento do processo de ensino-aprendizagem. Uma boa avaliação alimenta os tomadores de decisões com as informações necessárias para escolhas abalizadas, e os professores com um feedback útil para o desenvolvimento de seus trabalhos.

Assim o sistema de avaliações é norteado pelo Regimento das FIMI, sendo considerado aprovado o discente que obter conceito mínimo de 5,0.

Notícias
Estudantes de engenharia mecânica testam teorias em aulas práticas nos laboratórios

Estudantes de engenharia mecânica testam teorias em aulas práticas nos laboratórios

Para testar a capacidade de assimilação de conteúdo de seus estudantes, assim como despertar a criatividade latente em cada um…
Com retomada de crescimento, as engenharias civil e mecânica voltam a ter destaque no país

Com retomada de crescimento, as engenharias civil e mecânica voltam a ter destaque no país

É comum entre os jovens que acabaram de entrar na faculdade, que haja dúvidas quanto ao futuro da profissão, ainda…
FIMI traz engenharia mecânica para 2019

FIMI traz engenharia mecânica para 2019

Para quem sempre quis ser engenheiro mecânico, mas via o sonho esbarrar nos alto preço das mensalidades e na distância…
11 de Dezembro - Dia do Engenheiro

11 de Dezembro - Dia do Engenheiro

11 de Dezembro – Dia do Engenheiro No seu dia a dia, os engenheiros usam e abusam de ideias, sempre…

INSCREVA-SE

Engenharia Mecânica