Faculdade Aberta 2018

Para auxiliar os alunos que estão concluindo o ensino médio a escolher um curso superior, as Faculdades Integradas Maria Imaculada (FIMI) vão abrir suas portas para a realização da X Faculdade Aberta, que acontece entre os dias 23 a 25 de outubro, das 19h30 às 22h30. Além dos jovens que buscam uma graduação universitária, este evento também se destina ao público em geral.

De acordo com o professor e mestre Romildo Morelato Junior, diretor do Centro Mogi Guaçu da FIMI, durante a X Faculdade Aberta, os estudantes terão uma oportunidade única de conhecer, in loco, os cursos de graduação oferecidos por essa instituição de ensino superior. “É  um excelente chance que o aluno vai ter para tirar suas dúvidas e aprender mais sobre a profissão que pretende seguir”, ressaltou Morelato.

Ainda de acordo com o diretor, durante os três dias, os jovens conhecerão funcionamento e organização da faculdade, assim como as relações de ensino e pesquisa desenvolvidos pela Faculdades Maria Imaculada. “Colocaremos os estudantes em contato direto com o campo de atuação de diversas profissões, como arquitetura, biomedicina, ciências biologia, ciências matemática, ciências química, engenharia civil, estética, farmácia, história, letras, pedagogia, química industrial e engenharia mecânica”, revelou.

Para garantir o sucesso do evento, a Maria Imaculada está convidando várias escolas de Mogi Guaçu e disponibilizando até um ônibus para buscar os estudantes. Morelato pede apenas que as escolas escolham, com antecedência, a melhor data para visitar a X Faculdade Aberta, ligando para o telefone (19) 3861-4066, confirmando o agendamento, informar o número de visitantes ou obter mais informações.

Para isso, basta ligar para Rubiara, de segunda a sexta, das 14h00 às 17h00 e das 19h00 às 22h00. A FIMI está localizada à rua Paula Bueno, 240, centro, em Mogi Guaçu.

 

ATRAÇÕES

Entre as atrações desse evento, destaque para a peça teatral “Água à Vista”, encenada pela Cia de Teatro Parafernália. Também haverá muita música com a banda Trilogia o DJ Tigrão. Tudo animado pela Priscila Drag, uma host que não deixa ninguém parado!

Os visitantes também poderão conhecer um projeto de geração de energia fotovoltaica,  desenvolvido pelos alunos do último ano de engenharia civil, sistemas estruturais e executivos de um edifício e muitos outros projetos interessantes.

Já os estudante de história e letras brindarão o público presente com a apresentação das peças “Teatro Grego e a Greve de Sexo” e “Vozes dos Sentimentos”, respectivamente. Outras salas da Maria Imaculada estarão abertas ao público com informações sobre saúde, beleza, arquitetura, farmácia, biomedicina, pedagogia, química, engenharia dentre outros.

Dia 23 de Outubro
19h30 Espetáculo “Águas a Vista”

Cia. de Teatro Parafernália / 6º Pedagogia

20h Miss e Mister Brasil Regional 2018

Pró-Beleza Sindicato Nacional da Beleza do Interior

20h Dj Tigrão

10º de Farmácia

 

Dia 24 de Outubro
19h30 Espetáculo “Águas a Vista”

Cia. de Teatro Parafernália / 6º Pedagogia

20h Banda Trilogia Urbana

8º Engenharia Civil

20h Miss e Mister Brasil Regional 2018

Pró-Beleza Sindicato Nacional da Beleza do Interior

 

Dia 25 de Outubro
19h30 Espetáculo “Águas a Vista”

Cia. de Teatro Parafernália / 6º Pedagogia

20h Miss e Mister Brasil Regional 2018

Pró-Beleza Sindicato Nacional da Beleza do Interior

Therezinha Perez, a professora das professoras

Há arquitetos que podem construir cidades inteiras, assim como engenheiros conseguem ligar países e até continentes por túneis submarinos ou pontes espetaculares. Há médicos que operam verdadeiros milagres e cientistas que salvam milhares de vidas. Enfim, a humanidade está repleta de exemplos de  talentos que melhoram nosso dia a dia e que, ao mesmo tempo,  lutam pela construção de  uma sociedade mais justa e solidária.

Mas o que essas nobres almas têm em comum?  Todas, em algum momento da vida, foram inspiradas por mestres que desde a mais tenra idade, plantaram em suas mentes as sementes da curiosidade, do conhecimento. Ensinaram desde as primeiras letras até os cálculos mais difíceis. Foi assim como nossa querida professora Therezinha Perez, que nos deixou no último sábado (dia 13). 

Sem exageros, podemos chamá-la de professora das professoras, pois compartilhou com centenas de alunos o seu amor incondicional pela educação e seu entusiasmo ímpar pela pedagogia. Mesmo aos 92 anos, quando a maioria das pessoas já está aposentada, Therezinha ainda esbanjava entusiasmo nas Faculdades Integradas Maria Imaculada, onde coordenava os estágios das Licenciaturas (Pedagogia, História e Letras).

Esta educadora, que a tantos inspirou com seu coração enorme e mente brilhante, pode estar certa que seu legado será perpetuado dentro e fora das salas de aula por meio das centenas de alunas e alunos que ajudou a formar e com os quais socializou seu talento profissional! Só mesmo as almas iluminadas mantêm o brilho mesmo quando deixam esse plano. É que a luz do saber jamais se expira nos corações tocados por anjos!

 

Em nome desse amor à educação demonstrado por Therezinha Perez, homenageamos todos os mestres educadores neste dia 15 de Outubro pelo seu dia.

Aulas suspensas nesta segunda-feira

 ATENÇÃO ALUNOS!
Devido ao falecimento da professora Therezinha Perez, um grande ícone desta instituição, decretamos luto. 
As aulas de hoje, segunda feira, 15 de outubro, estão suspensas

Alunas do “Maria Imaculada” presentes na Bienal de Artes

No último sábado (06), alunas do curso de especialização em arte-educação das Faculdades Integradas Maria Imaculada estiveram visitando a 33ª edição da Bienal Internacional de Arte de São Paulo, que está sendo realizada no Parque do Ibirapuera e com a participação de mais de 100 artistas de todo o Mundo.

O evento, aberto em 7 de setembro, Dia da Independência, e vai até o próximo dia 9 de dezembro, sempre das 9h00 às 19h00. Este ano, a exposição, realizada no pavilhão “Ciccilio Matarazzo”, traz como tema as afinidades afetivas.

As estudantes da Maria Imaculada percorreram todos os três andares da bienal para apreciar as obras contemporâneas e compreender melhor a temática desta edição, assim como seu contexto artístico.

A tarefa foi facilitada pela presença da professora doutora Verena Carla Pereira, uma profunda conhecedora da Bienal de Artes de São Paulo, desde a sua gênese.

De acordo com a coordenadora do curso, a professora Gabriela Rigotti, esta foi uma oportunidade ímpar para as alunas ampliarem seus conhecimentos, principalmente por causa da presença da doutora Verena.

“Houve uma maravilhosa exploração dirigida ao mundo das artes contemporâneas”, explicou a coordenadora, referindo-se à colega docente. As alunas também puderam trazer um vasto material disponibilizado pelo setor educativo da Bienal.

“Isso foi muito mais do que um passeio para contemplar a arte. Tivemos a chance de compreender o que é o processo educativo em museus e como a arte participa ativamente da educação das pessoas”, observou Gabriela.

A visita a 33ª Bienal de Arte de São Paulo fez parte das atividades eletivas do curso de especialização em arte-educação, que estará com matrículas abertas a partir do mês de novembro!

    

Curso de pedagogia garante um excelente desempenho no Enade

O curso de pedagogia das Faculdades Integradas Maria Imaculada (Fimi) de Mogi Guaçu, alcançou nota 4 na rigorosa avaliação no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), que englobou 450 mil universitários do último período de mais de 10 mil cursos.

O Enade é aplicado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão ligado ao Ministério da Educação, responsável pela avaliação dos cursos de graduação públicos e privados.

Esta não é a primeira vez que a pedagogia da Maria Imaculada tem um excelente desempenho em avalições do MEC. Vale ressaltar que, em 2017, os alunos de pedagogia da Maria Imaculada já haviam obtido 3 na avaliação do Enade, comprovando a excelência desse curso e o alto desempenho de seu corpo docente.

A coordenadora do curso de pedagogia da faculdade, professora e mestre Paula Massi Reis Pires comemorou o resultado. “É um reconhecimento ao trabalho de toda nossa equipe, tanto do corpo docente, funcionários, alunos até a direção dessa instituição”, agradeceu.

Há 10 anos ministrando aulas e há 2 anos como coordenadora do curso na Maria Imaculada, Paula não tem menor dúvida que o excelente desempenho da pedagogia no Enade foi mais que merecido.

 

MELHORES

 

“Isso só vem comprovar a qualidade do ensino oferecido aos nossos alunos”, observou. Ela explicou que para alcançar uma boa nota na avaliação, o MEC também leva em consideração o corpo docente, a metodologia do ensino, o desempenho dos estudantes, a estrutura do curso (bibliotecas, laboratórios, etc), as instalações da faculdade, dentre outros parâmetros.

O desempenho do curso de pedagogia da Maria Imaculada pode ser comparado às melhores universidades públicas do país, cujas notas sempre aparecem em patamares acima dos 4 pontos. “Sinto-me lisonjeada de pertencer a esse grupo”, disse Paula, ainda festejando o excelente desempenho de seu curso.

FIMI traz engenharia mecânica para 2019

Para quem sempre quis ser engenheiro mecânico, mas via o sonho esbarrar nos alto preço das mensalidades e na distância das faculdades, hoje já não existem mais esses obstáculos. A FIMI (Faculdades Integradas Maria Imaculada) de Mogi Guaçu trás, já para 2019, o curso de engenharia mecânica, alinhando-se com as atuais necessidades do mercado de trabalho da região. 

Segundo o responsável e coordenador do novo curso, o professor e mestre José Donizeti Tagliaferro, a mais nova graduação da FIMI foi concebida atendendo aos pré-requisitos estabelecidos pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia, assim como nas definições previstas pelo Confea (Conselho Federal de Engenharia). 

Tagliaferro explica que o curso de engenharia mecânica da FIMI também irá oferecer aos futuros alunos, competências inovadoras na solução na solução de problemas que exigem tecnologia mecânica aplicada para a construção de máquinas e processos, desde a etapa de projeto até a gestão. “Isso irá proporcionar uma formação alinhada com as responsabilidades e atribuições profissionais previstas para o engenheiro mecânico”, destacou.

ATUAÇÃO

Daqui a 5 anos, quando a primeira turma de engenheiros formados pela FIMI deixar a sala de aula, eles irão atuar no desenvolvimento de projetos mecânicos, projetar e supervisionar a produção de máquinas, equipamentos, veículos, sistemas de aquecimento, refrigeração e ferramentas específicas da indústria mecânica. 

Também é função desse profissional, a seleção e dimensionamento da matéria-prima, providenciar moldes das peças que serão fabricadas, cria protótipos e testar os produtos obtidos. Para quem acha que as atribuições dos engenheiros mecânicos acabam por aí, está enganado. Eles ainda serão responsáveis por organizar sistemas de armazenagem, supervisionar processos, além de definir normas e procedimentos de segurança na linha de produção. 

CONTROLE DE QUALIDADE

Tagliaferro lembra ainda que os futuros engenheiros mecânicos também poderão atuar nas áreas de controle de qualidade, acompanhando e analisando testes de resistência, calibrando e conferindo medidas e principalmente na solução de problemas nos segmentos de projeto, execução e análise de elementos de máquinas e seus sistemas estruturais. 

Os setores que mais absorvem o profissional da engenharia mecânica são os de projeto assistido por computador e simulação de sistemas, além da fabricação de elementos presente nas indústrias metalúrgicas, de alimentos, química, naval, aeronáutica, dentre outras. Portanto, trata-se de uma profissão que garante uma enorme gama de opções no mercado de trabalho, garantindo bons salários aos profissionais!

Engenharia Mecânica

O Curso

O curso de Engenharia Mecânica da FIMI alinha-se com as necessidades do segmento industrial, formando competências inovadoras na solução de problemas que exigem tecnologia mecânica aplicada à construção de máquinas e processos, desde a etapa de projeto até a gestão de recursos atendendo aos pré-requisitos estabelecidos pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia e as definições previstas pelo Conselho Federal de Engenharia – CONFEA, proporcionando formação alinhada com as responsabilidades e atribuições profissionais previstas para o profissional Engenheiro Mecânico.

 

Modalidade: Bacharelado
Período: Noturno
Duração: 10 semestres

Área de atuação

A atuação do Engenheiro Mecânico  é desenvolver, projetar e supervisionar a produção de máquinas, equipamentos, veículos, sistemas de aquecimento e de refrigeração e ferramentas específicas da indústria mecânica. Seleciona e dimensiona a matéria-prima, providencia moldes das peças que serão fabricadas, cria protótipos e testa os produtos obtidos.

Organiza sistemas de armazenagem, supervisiona processos e define normas e procedimentos de segurança na linha de produção. Controla a qualidade, acompanhando e analisando testes de resistência, calibrando e conferindo medidas e principalmente na solução de problemas nos segmentos de projeto, execução e análise de elementos de máquinas e seus sistemas estruturais. Desde as fases de projeto assistido por computador e simulação de sistemas até a etapa de fabricação de elementos presente na indústria metalúrgicas, alimentos, química, naval, aeronáutica etc.

Geral

De acordo com artigo 5° da Resolução CNE/CES 11 e das determinações do CREA (Lei 5194 e   Resolução 218), o curso tem como objetivo geral:

“Formar Engenheiros Mecânicos com um perfil generalista, humanista, crítico e reflexivo, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em consonância com as demandas da sociedade”.

 

Específicos

 

Na FIMI, o curso de Engenharia Mecânica prevê o ingresso dos alunos num currículo de formação em comum, permitindo aos discentes conhecerem, de forma conjunta, as possibilidades de atuação e também os fundamentos da profissionalização para as respectivas áreas.

Dentro deste preceito, definiu-se os objetivos específicos do curso de bacharelado em Engenharia Mecânica da FIMI no sentido de:

 

  • Formar profissionais que conheçam os princípios, as práticas e as técnicas voltadas para a Engenharia Mecânica, bem como as normas e leis nacionais e internacionais que regem a atividade;
  • Fazer uso da Matemática como ferramenta e linguagem, empregada na descrição de modelos, permitindo a previsão do comportamento de sistemas e seu projeto. O foco será concentrado na compreensão e aplicação dos conceitos aprendidos;
  • Contextualizar a teoria, mostrando algumas de suas aplicações práticas. Os projetos desenvolvidos em disciplinas e aulas de laboratório cumprirão este papel, muitas vezes antecipando temas a serem tratados em aulas de teoria;
  • Levar em conta aspectos de segurança trabalho, obedecendo às normas vigentes;
  • Incentivar o uso intensivo da leitura, compreensão e produção de textos na maioria das disciplinas.
  • Propiciar ao egresso uma formação mais abrangente dentro das diversas áreas da Engenharia Mecânica que levem a plena capacidade de desenvolver projetos de sistemas térmicos e mecânicos;
  • Formar profissionais com habilidades técnicas para acompanhar o acelerado desenvolvimento tecnológico da área, buscando o aprimoramento contínuo;
  • Empregar intensivamente a informática na solução numérica de problemas matemáticos complexos, associados ao modelamento de sistemas e processos, permitindo a avaliação do seu comportamento;
  • Oportunizar aos graduandos uma formação humanística, para que se tenha um profissional preocupado com questões sociais.
  • Desenvolver no discente a sensibilidade, para perceber a importância da interação interpessoal, possibilitando-o de se tornar um cidadão preparado para contribuir de forma significativa para a melhoria de vida da sociedade;
  • Desenvolver no aluno a capacidade de abstrair a realidade, utilizando-se de modelos físicos e matemáticos para descrevê-la e explicá-la;
  • Formar profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico da área;
  • Incentivar um perfil empreendedor em engenharia;
  • Desenvolver um aluno crítico, capaz de responder às novas exigências do campo da Engenharia Mecânica, a partir de uma base sólida de conhecimentos e saberes historicamente construído.

Sendo o engenheiro elemento ativo das transformações na era das mudanças tecnológicas rápidas, ele próprio vem sendo obrigado a promover profundas transformações em suas habilidades e em seu perfil profissional.
A sociedade do conhecimento exige engenheiros com competências novas, com flexibilidade e capacidade de aprender sozinho e permanentemente. Mais do que nunca, é necessário que o engenheiro tenha iniciativa, criatividade, espírito empreendedor e capacidade de atualização constante. Na era dos avanços tecnológicos rápidos, competitividade tornou-se sinônimo de capacidade de gerar e aplicar ciência e tecnologia na produção de bens e serviços.
Dentro deste contexto, considera-se que o perfil do Engenheiro Mecânico deva, inicialmente, atender ao proposto no Artigo 3º da Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002 e a Resolução 2/2007:

“O Curso de Graduação em Engenharia tem como perfil do formando egresso/profissional o engenheiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade”.

A concepção do curso também considerou a necessidade do profissional egresso de Engenharia Mecânica ter capacidade para executar as atividades previstas na resolução do CONFEA/CREA nº. 1.010/2005 de 22 de agosto de 2005, que trata das atribuições para o desempenho de atividades exigidas para o exercício profissional, que sejam:

Atividade 01 – Gestão, supervisão, coordenação, orientação técnica;
Atividade 02 – Coleta de dados, estudo, planejamento, projeto, especificação;
Atividade 03 – Estudo de viabilidade técnico-econômica e ambiental;
Atividade 04 – Assistência, assessoria, consultoria;
Atividade 05 – Direção de obra ou serviço técnico;
Atividade 06 – Vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria, arbitragem;
Atividade 07 – Desempenho de cargo ou função técnica;
Atividade 08 – Treinamento, ensino, pesquisa, desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, divulgação técnica, extensão;
Atividade 09 – Elaboração de orçamento;
Atividade 10 – Padronização, mensuração, controle de qualidade;
Atividade 11 – Execução de obra ou serviço técnico;
Atividade 12 – Fiscalização de obra ou serviço técnico;
Atividade 13 – Produção técnica e especializada;
Atividade 14 – Condução de serviço técnico;
Atividade 15 – Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
Atividade 16 – Execução de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
Atividade 17 – Operação, manutenção de equipamento ou instalação; e Atividade 18 – Execução de desenho técnico.

Outro aspecto relevante e vinculado ao perfil do egresso se refere ao delineamento das competências e habilidades a serem desenvolvidas no transcorrer do curso e previsto pelo Artigo 4 da Resolução CNE/CES n 11/2002:

“A formação do engenheiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades gerais:

I- aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia;
II- projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
III- conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
IV- planejar, supervisionar, elaborar, coordenar projetos e serviços em engenharia;
V- identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
VI- desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
VI- supervisionar a operação e manutenção de sistemas;
VII- avaliar criticamente a operação e manutenção de sistemas;
VIII- comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
IX- atuar em equipes multidisciplinares;

X- compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;
XI- avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e
ambiental;
XII- avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
XIII- assumir a postura permanente de atualização profissional.”

As FIMI projetam em todos os seus cursos, atividades em harmonia com as suas bases filosóficas e princípios metodológicos, garantindo, desta forma, uma coerência epistemológica com a Missão e os Objetivos Institucionais, assim como com as propostas pedagógicas dos seus cursos.

Avaliar não se resume à mecânica do conceito formal e estatístico; não é, simplesmente, atribuir notas, obrigatórias à decisão de avanço ou retenção em determinada disciplina. Os instrumentos de avaliação, imprescindíveis à verificação do aprendizado efetivamente realizado pelo aluno, devem fornecer subsídios ao trabalho docente, direcionando o esforço empreendido no processo de ensino e aprendizagem de forma a contemplar a melhor abordagem pedagógica e o mais pertinente método didático adequado à disciplina.

Neste contexto, a avaliação, sob o enfoque formativo e de forma contínua, mais do que simples atribuição de um conceito formal (nota), serve à percepção, tanto do professor quanto do aluno, dos progressos e carências de seus respectivos trabalhos, permitindo a aplicação de estratégias de aperfeiçoamento ou de redirecionamento do processo de ensino-aprendizagem. Uma boa avaliação alimenta os tomadores de decisões com as informações necessárias para escolhas abalizadas, e os professores com um feedback útil para o desenvolvimento de seus trabalhos.

Assim o sistema de avaliações é norteado pelo Regimento das FIMI, sendo considerado aprovado o discente que obter conceito mínimo de 5,0.

Coordenação

Prof. Mestre Jose Donizeti Tagliaferro

Minicurrículo

Engenheiro Mecânico/Automação graduado pela USF (2008), Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida pela UNIFAE (2015), Pós Graduado em Gestão da Manutenção e Produção FATEP (2012), Licenciatura Plena em Matemática pela FPSJ (2016), Licenciatura Plena em Física pela FPSJ (2017). Experiência como professor de Física I II III IV, Mecânica Geral, Automação Industrial, Cálculo Diferencial e Integral, Controle e Servo Mecanismo, Desenho Mecânico com SolidWorks, Elementos de Máquinas, Fluidos Mecânicos, Hidráulica e Pneumática, Mecânica Aplicada, Metrologia, Operações Unitárias, Instrumentação, Projetos de Máquinas, Resistencia dos Materiais, Micro Controladores, Utilidades para processos Industriais, Programação e Controle de Produção, Gestão da Qualidade, Administração Estratégica nas engenharias Mecânica, Computação, Química, Civil, Ambiental, Elétrica e Produção.

Experiência profissional atuando como Gestor de Produção, Manutenção, Projetos, Instalações, ISO 9000, 14000 e 22000 no período entre 1993 à 2013 na Ingredion (antiga maisena), também atuo como consultor técnico para elaborações de pericias e laudos das normas NR10, NR12,NR13,NR33. Também atuou como mecânico de manutenção industrial na Trop Suco no período de 1988 à 1992 e como mecânico de automóveis na Auto Mecânica Solevolks no período entre 1985 à 1988. Atualmente exerce a função de coordenador do curso de Engenharia Mecânica na FIMI e atua como professor de mecânica geral na engenharia civil e como examinador de transito pelo Detran-SP.  

Envie mensagem

Nome: *

E-mail: *

Cidade: *

Telefone:

Celular:

Assunto: *

Mensagem: *

Favor preencher todos os campos que estão marcados com *

Curso autorizado pela Portaria MEC/SESu 432 de 15/06/2018, publicado em 18/06/2018

ALUNOS FIMI – VISITA TÉCNICA – HUMAN BODIES – MARAVILHAS DO CORPO HUMANO EM CAMPINAS

Alunos dos diversos cursos da FIMI, na última quarta feira, dia 29 de agosto, realizaram uma visita técnica à mostra internacional Human Bodies – Maravilhas do Corpo Humano, instalada no Shoping Iguatemi de Campinas.
Os discentes foram acompanhados pela professora Alessandra Oliveira Guimarães, responsável pela disciplina “Morfofuncionais” e também pelo professor Renan Bazuco Frittoli responsável pelas disciplinas de Bioquímica e Toxicologia.

O objetivo da visita foi enriquecer o processo de aprendizagem de forma prática, a exposição transporta o aluno para uma viagem pela anatomia humana e revela de maneira tridimensional todos os órgãos que compõem o corpo.

A exposição conta com nove corpos reais, em poses inusitadas e numa visão tridimensional da espécie humana. Ao longo de sete galerias, são exibidas órgãos para que os alunos conheçam em detalhe a estrutura de cada sistema. Reconhecida como uma verdadeira contribuição à ciência, a exposição proporciona uma compreensão profunda e muito realista do corpo humano.

Workshop de Fotografia Artesanal

Neste último sábado, 25.08.2018, a turma de Especialização em Arte-Educação participou de um Workshop de Fotografia Artesanal com a fotógrafa Dani Sandrini, do Estúdio Grão de São Paulo.
 
Os alunos tiveram a oportunidade de vivenciar a fotografia de forma lúdica e artesanal, trabalhando com a imagem fotográfica da mesma forma como foi descoberta, além de experienciarem a técnica da grafia em luz em vários e inusitados suportes!
 
O evento faz parte das atividades de Extensão do Curso de Pós-Graduação em Arte-Educação, o qual já está com lista de interesse aberta para a turma de 2019!
 
Informações e Inscrições na Secretaria da Faculdade.

Educação Física adaptada

Vivenciar a participação inclusiva nas aulas de Educação Física diz respeito ao desenvolvimento das capacidades afetivas, de integração e inserção social por meio de práticas corporais (PCN, 1997, p.31) que estimulam autodomínio, autoconfiança e autonomia.

Brincar… Jogar… Recrear… São atividades educativas de interações e cooperação que devem ser trabalhadas a fim de atender a TODOS os alunos (sem e com deficiências); desenvolvendo atividades recreativas e psicomotoras, quer sejam adaptadas ou não, que promovam habilidades, que socializem as potencialidades individuais com equidade.

As aulas de Fundamentos e Metodologia do Ensino de Educação Física da FIMI fomentam a formação de professores para a construção de atitudes e vivências que dignificam o respeito próprio por TODOS, concretizando a solidariedade sem preconceitos para com a diversidade da escola (PCN’S, 1997, p. 31).

Páginas:1234567...37»