O Curso

É a ciência que estuda a matéria, sua composição e suas propriedades, transformações e combinações. O químico analisa substâncias e compostos, identifica suas propriedades e características físico–químicas.

Modalidade: Licenciatura
Período: Noturno
Duração: 8 semestres

Área de atuação

Nas Faculdades Integradas Maria Imaculada, o estudante terá habilitação para lecionar no ensino fundamental, médio e seguir a vida acadêmica para ser docente no ensino superior.

Possibilitar a formação de um profissional com bons conhecimentos gerais e domínio do conteúdo das diversas áreas da Química, baseado numa estrutura curricular interdisciplinar requerida não só para formar o profissional, mas também um cidadão com comportamento ético e consciente de sua responsabilidade social.

 

Específicos

Propiciar uma formação profissional sólida em conhecimentos teóricos/práticos e pedagógicos para atuação no ensino médio e nas quatro últimas séries do ensino fundamental, além de propiciar uma formação adequada para atuar em outras áreas da Química, tais como, na indústria, pesquisa científica e atividades autônomas por meio:

‐  do desenvolvimento do pensamento científico acerca dos fenômenos do mundo natural e a compreensão das transformações que o ser humano impõe a natureza.

‐  da aquisição de conhecimentos generalistas e abrangente base de conteúdos de química em todas as suas modalidades de conhecimentos e áreas afins.

‐  da vivência experimental e preparação adequada a aplicação pedagógica dos conhecimentos adquiridos.

O licenciado em Química é um profissional que deve ter formação generalista, mas sólida e abrangente em conteúdos dos diversos campos da Química, preparação adequada à aplicação pedagógica sobre conhecimentos e experiências da área, bem como de áreas afins na atuação profissional como educador nos ensinos fundamental e médio. Inclui‐se neste perfil atitudes e habilidades que demonstrem:

‐ Possuir abrangente conhecimento dos conteúdos das ciências naturais e áreas afins.

‐  Compreender os conceitos, leis e princípios da Química em todas as suas modalidades fundamentais, saber interpretar e utilizar as diferentes formas de representação (tabelas, gráficos, símbolos, expressões etc).

‐  Acompanhar os avanços científicos, tecnológicos e educacionais.

‐  Conhecer e vivenciar teorias psicopedagógicas e projetos com base nas propostas curriculares do ensino de Química, que fundamentam o processo de ensino‐aprendizagem.

‐  Capacidade de aplicação pedagógica dos conhecimentos adquiridos e experiências vividas na atuação profissional como educador no ensino fundamental e ensino médio e em grupos de pesquisa cientifica.

‐  Saber comunicar corretamente os projetos e resultados de pesquisa na linguagem educacional, oral e escrita.

‐  Saber trabalhar em equipe e promover a integração das diferentes áreas das ciências tanto com o objetivo pedagógico‐educacional como a pesquisa científica.

‐  Interesse no auto‐aperfeiçoamento contínuo, capacidade para estudos extracurriculares individuais ou em grupo, iniciativa na busca de soluções para questões individuais e coletivas relacionadas com o ensino de Química.

‐  Domínio das técnicas básicas de utilização de laboratórios e equipamentos e aplicação de novas tecnologias.

‐  Ter curiosidade intelectual e interesse pela investigação cientifica e tecnológica de forma a utilizar o conhecimento cientifico e social acumulado na produção de novos conhecimentos.

‐  Ter consciência da importância social da profissão como possibilidade de desenvolvimento social e coletivo.

Possuir sensibilidade e idealismo para reconhecer e interessar‐se pelos problemas educacionais, sociais, econômicos, políticos que atingem indivíduos, grupos, populações, organizações e comunidades.

As FIMI projetam em todos os seus cursos, atividades em harmonia com as suas bases filosóficas e princípios metodológicos, garantindo, desta forma, uma coerência epistemológica com a Missão e os Objetivos Institucionais, assim como com as propostas pedagógicas dos seus cursos.

Avaliar não se resume à mecânica do conceito formal e estatístico; não é, simplesmente, atribuir notas, obrigatórias à decisão de avanço ou retenção em determinada disciplina. Os instrumentos de avaliação, imprescindíveis à verificação do aprendizado efetivamente realizado pelo aluno, devem fornecer subsídios ao trabalho docente, direcionando o esforço empreendido no processo de ensino e aprendizagem de forma a contemplar a melhor abordagem pedagógica e o mais pertinente método didático adequado à disciplina.

Neste contexto, a avaliação, sob o enfoque formativo e de forma contínua, mais do que simples atribuição de um conceito formal (nota), serve à percepção, tanto do professor quanto do aluno, dos progressos e carências de seus respectivos trabalhos, permitindo a aplicação de estratégias de aperfeiçoamento ou de redirecionamento do processo de ensino-aprendizagem. Uma boa avaliação alimenta os tomadores de decisões com as informações necessárias para escolhas abalizadas, e os professores com um feedback útil para o desenvolvimento de seus trabalhos.

Assim o sistema de avaliações é norteado pelo Regimento das FIMI, sendo considerado aprovado o discente que obter conceito mínimo de 5,0.

Foto_1_ciencias_quimica
Foto_2_ciencias_quimica

Prof. Dr. Moacyr Rodrigo Hoedmaker de Almeida

rodrigo_site

Minicurrículo

Doutor em Ciências (Área de concentração: Química Analítica) pelo Departamento de Química da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestre em Química (Área de concentração: Química Analítica) pelo Departamento de Química da UFSCar. Bacharel em Química pela UFSCar. Professor e Coordenador do Curso de Ciências-Habilitação Química (Licenciatura Plena em Química), Química Industrial (Bacharelado) e da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Integradas Maria Imaculada (FIMI). Participou de inúmeros congressos nacionais e internacional e cursos na área, além de ter diversos artigos publicados em periódicos internacionais. Vencedor do Prêmio Conselho Federal de Química de Estímulo à Eletroquímica, pelo Conselho Federal de Química (CFQ). Avaliador Institucional e de Cursos MEC/INEP e do CEE/SP. Professor da Faculdade Municipal “Prof. Franco Montoro” (FMPFM). Editor do periódico “Intercência & Sociedade” (ISSN: 2236-0468), da editora FMPFM.

Envie mensagem

Nome: *

E-mail: *

Cidade: *

Telefone:

Celular:

Assunto: *

Mensagem: *

Favor preencher todos os campos que estão marcados com *

Curso renovado pela Portaria SESu nº 723 de 16/08/2007, publicada em 17/08/2007